DÍZIMOS E OFERTAS

Dízimos e ofertas

 Tudo o que existe foi feito por Deus, e é d’Ele.  Tudo que nós temos foi emprestado por Deus, e nada pertence a nós mesmos.  O que temos foi colocado em nossas mãos apenas para administrarmos. Deus mandou seu povo separar a primeira a décima parte de tudo que ganhavam (o dízimo) para financiar o trabalho de Deus. (Deuteronômio 14.28-29).

 Para suprir suas próprias necessidades o povo podia usar os 90% que sobravam.

 O que é dízimo?

A palavra dízimo quer dizer a décima parte de alguma coisa

O que a Bíblia ensina sobre o dízimo?

Que dez por cento (10%) de tudo o que nos vêm às mãos deve ser entregue ao Senhor; porque o dízimo é santo, ou seja, separado exclusivamente para o Senhor, como diz Sua Palavra: “Também todos os dízimos da terra, quer dos cereais, quer do fruto das árvores, pertencem ao Senhor: santos são ao Senhor” (Levítico 27.30); “O dízimo será santo ao Senhor” (Levítico 27-32).

O dízimo e as ofertas já pertencem à obra de Deus, e não são para o nosso uso.

 Se você deixar de entregar o dízimo, estará roubando a Deus. Se roubar a homens é pecado e traz maldição, imagine roubar a Deus? A Bíblia trata deste assunto no livro de Malaquias: “Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas alçadas. Com maldição sóis amaldiçoados porque a minha roubais...” (Malaquias 3.8,9).

O dízimo é diferente da oferta

Dízimo é dar dez por cento do meu salário, mas a oferta é qualquer coisa que eu dou além do meu dízimo.

O dízimo é para a proteção contra o devorador, enquanto a oferta é para prosperidade. Malaquias 3.11 diz que, se dermos o dízimo, o Senhor nos livrará do devorador: “Também por amor de vós e provarei o devorador...”. O dízimo nos mostra nossa fidelidade, mas as ofertas demonstram nosso amor. As ofertas são sementes de prosperidade. A Palavra de Deus diz que aquele que semeia com fartura colherá com abundância porque Deus é fiel: “Mas digo isto: Aquele que semeia pouco, pouco também ceifará; é aquele que semeia em abundância, em abundância também ceifará”. O dízimo é lei, oferta é amor.

Porque devo entregar o meu dízimo e as minhas ofertas?

» Porque Deus ordena: “Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, diz o Senhor...”. (Malaquias 3.10).

» Porque o dízimo expressa a minha gratidão a Deus: “Cada qual oferecerá conforme a bênção que o Senhor teu Deus lhe houver dado” (Deuteronômio 16.17); “Que darei eu ao Senhor por todos os benefícios que me tem feito?” (Salmos 116.12).

» O dízimo libera a bênção sem medida da parte de Deus: “Trazei todos os dízimos... e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos exércitos, se Eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós bênção sem medida” (Malaquias 3.10).

» O dízimo é proteção contra o diabo: “Por vossa causa repreenderei o devorador...” (Malaquias 3.11).

» Ofertar honra a Deus: “Honra ao Senhor com os teus bens, e com as primícias de toda a tua renda; e se encherão fartamente os teus celeiros...” (Provérbios 3.9).

» Dar é um investimento: “Dai e dar-se-vos-á, boa medida, recalcada, sacudida e transbordante, generosamente vos darão...” (Lucas 6.38; II Coríntios 9.6).

» Dar é melhor que receber: “Coisa mais Bem Aventurada é dar do que receber” (Atos 20.35). Contribuindo segundo a obediência

Muitas vezes as nossas decisões parecerão estranhas para o mundo. Elas são tomadas através de um coração obediente à Palavra, e não segundo a sabedoria deste mundo. Temos que predeterminar o nosso curso de ação. Se algo é estabelecido na Palavra de Deus, então, devemos obedecer.

Exemplo: Contribuindo para suprir as necessidades dos outros. Quando suprimos as necessidades dos outros damos a Deus. (Mateus 25.40; Provérbios 19.17).

Deus está nos dando o grande privilégio de sermos cooperadores com Ele na Sua obra. Envolva-se! (II Coríntios 8.5)

Contribuindo de sua abundância

Às vezes é mais difícil para quem tem abundância contribuir, do que para o que tem pouco; isto deve-se ao fato de que a abundância vem por viver no orçamento fixo, então, a tendência da pessoa é querer guardar aquilo que levou tanto tempo e esforço para adquirir.

O perigo da abundância: A abundância pode nos levar a sentirmo-nos mais seguros, e a tendência seria um menor envolvimento com Deus, com Sua obra e com as pessoas.

Contribuir da abundância exige muito amor, pois é necessário amor verdadeiramente ao Senhor e aos Seus filhos, para que alguém abra mão de recursos seus em prol dos outros (I João 3.17-18); (II Coríntios 8.11-12). No entanto, quem faz e isso nunca terá a falta de nada; por que é impossível alguém dar mais do que Deus devolverá.

Contribua segundo a abundância Que Deus tem dado a você. Não se preocupe com que os outros estão dando ou não.  Não se deixe influenciar por comentários negativos ou especulações, caso um dia venham a acontecer; preocupe-se apenas em agradar o Senhor, e Ele certamente o abençoará (II Coríntios 8.13; Lucas 3.11).

Contribuindo como sacrifício

Somente é possível contra contribuir como sacrifício se a pessoa tiver um coração verdadeiramente submisso a Deus. Essa contribuição deve ser feita com uma atitude correta.

O que constitui-se um sacrifício?

Não é sacrificar o que é necessário para suprir suas necessidades, mas sim, abandonar alguns desejos e confortos. Talvez um dia Deus diga para não ir aquele restaurante caríssimo que você se programou para ir, e economizou o mês inteiro com esse propósito; ou a viagem de férias tão esperada. Pode ser que Deus te diga: “quero esse valor como oferta para...”. Isto seria um sacrifício!

Quem deve sacrificar?

Os que têm muito e os que têm pouco. Todos podem dar uma oferta de sacrifício.

O dízimo e as ofertas devem ser dados numa atitude de fé alegria e adoração (Provérbios 3.4-10; Malaquias 3.13-18; Deuteronômio 26). Nunca devemos ofertar com tristeza ou por obrigação, pois Deus ama a quem dá com alegria (I Coríntios 9.6-7).

Três coisas inegociáveis para experimentarmos a liberdade financeira de Deus:

1 - Reconhecer que Deus é dono de tudo que você tem (mordomia)

2 - Devolva sempre o dízimo a Deus, pois é d’Ele!

3 - Busque a vontade de Deus em relação à abundância Que ele tem provido para sua vida.